sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Novas missões para o Papa



Depois de ajudar a acabar com a treta de mais de 50 anos entre EUA e Cuba (e de quebra fazer a Veja pagar o maior mico com essa capa tosca aí de cima), o Papa Francisco tem agora novas missões conciliadoras:

- O certo é bolacha ou biscoito?

- Quem é melhor: Cláudia Leitte ou Ivete?

- Vai acabar com a briga entre Tom e Jerry?

- 1987 é do Flamengo ou é do Sport?

- O Senhor Barriga vai perdoar os 14 meses de aluguel atrasados?

- É possível unir coxinhas e petralhas?

- O que é mais gostoso: Paçoquita Cremosa ou Nutella?

- Star Wars ou Star Trek?

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Festa da PCR vai render pautas para o ano todo

Quem me acompanha no Twitter sabe que adoro festas e babados. A-DO-RO. Mas gente, essa confraternização da Prefeitura do Recife com os jornalistas foi além das minhas forças! A turma se superou e quantidade de babados gerados foi tanta que eu gastaria umas quinze postagens só falando do que vi, ouvi e senti.

Vou tentar ser breve, mas se o post ficar longo... A culpa é de vocês! Sei que vou deixar de fora muita coisa legal, mas vamos lá.

Eu consegui sair um pouco mais cedo do trabalho para dar uma arrumada no visual e não ficar tão reconhecível. Em menos de duas semanas foram quatro eventos, quase sempre com as mesmas pessoas, o que aumenta o risco de ser descoberto. Cada ida ao salão é uma "plástica" pra não dar bobeira.

Combinei com meu amigo Repórter Furão para nos encontrarmos no Forte das Cinco Pontas, local do evento. Eu pensei que ele não ia, mas assim que desci do táxi e estava entrando, eis que surge meu amigue e solta o código que combinamos:

- Tem lanche?

- A essa hora não.

- ...

- ...

- É tu?

- Sim. Bora entrar, mas disfarça. Lá dentro a gente conversa.

Primeira vez que eu encontro o Furãozinho pessoalmente. Gente finíssima, de primeira qualidade nascemos um para o outro. Para entrarmos, nenhuma dificuldade apesar do pessoal da PCR montar um esquema intimidador com uma lista na entrada, pedindo crachá para alguns jornalistas. Foi aí que meu gênio entrou em ação com a estratégia escolhida para penetrar nas festas este ano: dizer que fazia parte da produção da banda.

Fácil, fácil, nos penetramos. A decoração da entrada ficou linda e o pessoal acertou quando colocou uma coberta na área interna do Forte. Vai que o alerta da Apac se confirma shuahsuahsuahs duvido hasuahsuahsu e cai um toró? A coberta foi válida, mas contribuiu para o calor no decorrer da festa. Ficou muito abafado em alguns momentos.


Uma homenagem a Carlos Percol, ex-secretário de imprensa, que morreu no acidente de Santos com Eduardo Campos em Agosto. 
A foto tá ruim porque meu celular é uma merda mesmo, conformem-se.

Sobre a decor: na entrada, uns galhos secos com papel higiênico ou algodão, não sei. Mas ficou bonita. Dentro do salão, uma temática sustentável com bancos de garrafas PET's, uns lustres gigantes... super bacana. A decoração estava bonita, ao contrário do decorador. Esse assustou alguns.

O buffet estava perfeito, como sempre. Eu e o Furão ficamos na fila por pouco tempo, estava andando rápido. Comida boa e farta. Mas não entendemos porque utilizam pratos tão pequenos... é pra forçar o povo a comer pouco, é? Minha gente, coloquem um pratinho maior da próxima vez. Precisa ser daqueles fundos não, mas jantar em um pires é foda!

Obrigado, Arcádia! Encheu nosso bucho


A festa estava ainda no começo quando chegou o prefeito Geraldo Júlio acompanhado pela sua carismática primeira-dama Cristina. Tive que conter o Furão:

- Quem é essa coroa?

- Tu não conhece? É a primeira-dama, esposa de Geraldo.

- Meu amigo, aí tem qualidade, viu?

- É, mas tire seu cavalinho da chuva. Cristina é querida por todo mundo, se aquiete. Vamo tomar um drink pra acalmar.

A primeira-dama chegou chegando, já balançando o esqueleto e pulando ao som do DJ. Aproveitou a música "Dançando Lambada" indo até o chão. Não demorou nada e já estava abrindo o salão de dança, distribuindo sorrisos e alegria. Gente, ela é incrível! Sou fã dela.

Óia pra isso:

Duas palavras: PARA e BÉNS.


A gente estava na fila dos bons drink quando começou o show da banda The Rossi, formada por músicos que acompanhavam o eterno Reginaldo. A produção acertou em cheio na escolha, que agradou a todos. No começo, quase ninguém dançava porque o pessoal estava dando abraços e cumprimentos, socializando e ampliando contatos. É pra isso que serve uma festa de jornalistas, né?

Passada a fase de apresentação e formação de grupinhos, a festa começou a ganhar corpo e os destaques foram aparecendo. Como deixar passar em branco o astro Salvino Gomes, liderando a tropa dos jornas pegadores/dançarinos? Tinha uma coreografia para cada música, uma interpretação, uns passos combinados, mãozinhas para o ar... um showman!

- Salvino também gosta de uma farra, né? - perguntou o Furão.

- É. Ele é muito animado. Chega nas meninas e diz "quer dançar ou quer andar de metrô?" aí sempre consegue um par. É gente fina.

- Se não falasse tanta bobagem no futebol...

- Óia, deixa o cara, visse? Vem, vamo dançar.

- Dançar é coisa de fresco. Vou não.

- Mas se a gente ficar aqui parado, vão desconfiar. Vem, fica só com a mão no bolso se balançando. Rebola um pouco.

- Que rebolar o quê! Tá pensando que sou alvirrubro?

Falando em rebolar, deu pra gente ver um estagiário da Folha de Pernambuco - que eu não sei o nome, porque não sou obrigado - que tentava mostrar a Salvino e a Cristina como se fechava uma festa, mas não deu. Ele usava bolsa e um camisa vermelha. Não deu pra superar Sal e Cris, fica pra próxima amigue.

Prefeito Geraldo no palco, recebendo público e músicos


Ao lado de Salvino no quesito "tentativas de se dar bem", aparecem três repórteres que estavam atirando para todos os lados e dando em cima de qualquer uma: Leonardo Vasconcelos e Dênis Cavalcanti (TV Jornal) e Renato Barros (CBN) relembraram os tempos do Ensino Médio, quando rolavam aquelas apostas tipo "quem beija mais" e não economizaram nas cantadas. Cada um pegou umas três inocentes, em média.

A festa tava tão boa que até um aleijadinho uma pessoa incapacitada passou por lá: Paulo Victor Moura, mesmo com o braço lascado, não perdeu a boca livre a aproveitou boa parte da festa com um look no estilo Natal no Cais de Santa Rita. Ao lado dele, presença registrada do Irmão Evento (nome certo em todos as festas da sociedade recifense) e o capitão do Titanic, tomando umas pra esquecer a tragédia do século passado.

Meu colega Irmão Evento (esq) e o Capitão do Titanic: presenças VIP's na confra


Enquanto o alto escalão do jornalismo ia embora cedo, foi sobrando na festa apenas a base da pirâmde: focas, estagiários, técnicos, operadores, repórteres esportivos e blogueiros. Aí começou a putaria! heuehuehuehueheuheuehuehu

A galera da Rede Estação parece que não dá mais ouvidos para o pastor. Estavam todos soltos e animados!

A turma do Diário de Pernambuco e TV Clube aproveitou que os chefes não estavam e, na dúvida se a empresa vai ser vendida ou não, trataram de festejar o quanto antes como se não houvesse amanhã. Fizeram a confra deles lá mesmo. Vai que a Universal assume o controle do sistema e proíbe todo mundo de soltar a franga? O titular do Blog Política DP dançou o hit "Vai Lacraia" com animação total e a turma dos Associados improvisou até uma ciranda pra mostrar que estão unidos.

Muita gente rodando ao som da ciranda

Começamos a dar uma circulada e por trás do palco, em frente ao banheiro, já tinha uns casais se pegando. Gente! Na frente do povo! Calma aí! Vão aliviar o tesão em outro lugar.

Aí o Furão me alertou: se tem gente se pegando por trás do palco, imagina lá fora, no estacionamento escurinho? Sabe quando você olha para outra pessoa e tem a sensação de estar pensando a mesma coisa?

Corremos para o estacionamento.

A desculpa era de que iríamos pegar alguma coisa no carro do Furão, então saímos. Como não tinha mais ninguém na portaria, voltar não seria problema.

Gente, levamos um susto. O Furão tem faro bom pra essas coisas, o palpite foi certeiro.

TINHA UM CASAL T R A N S A N D O LOGO EMBAIXO DO VIADUTO DAS CINCO PONTAS, ATRÁS DE UM ECOSPORT! 

Não deu pra saber quem era e isso nem interessa pra gente. Passamos ao longe e mesmo assim deu pra escutar uns gemidos e ver que o rapaz estava com a calça abaixada. Uma viatura da PM posicionada na entrada do estacionamento fazia cobertura sem saber do love que rolava no escurinho. Gente, nada contra aliviar o tesão, até achamos saudável e tal... Mas existem motéis baratinhos e táxis com desconto nos arredores, pfv, né?

Mas não foi só esse casal que aproveitou o escurinho. Muita gente "deu um perdido" nos amigos e foi para o lado de fora se agarrar. Não vou citar nomes porque sei que tem gente comprometida entre os amantes de ocasião e isso poderia acabar namoro/noivado/casamento. Vou ficar na minha.

A pegação e o clima de paquera também rolava dentro do Forte das Cinco Pontas.

Turminha só no clima de paquera


A bebida rolava solta e não faltou nada. E quando você junta jornalista com bebida grátis, já sabe, né?

Até eu e o Furão ficamos meio "altos", mas nada que fugisse do controle. Lembro de um diálogo:

- Cara, e se um jato partisse daqui?

- Eu ia junto.

- Ele passaria pela Muribeca?

- Perdesse o quê lá?

- Nada, queria conhecer e beber água.

Sim, esse foi nosso diálogo. Interpretem como vocês quiserem.

Esse dia foi louco

Depois que eu fui para a confra da Globo, acho que o povo do Morro do Peludo ficou com medo de prestigiar as outras reuniões da categoria. Da ala global que não se mistura vi poucos.O Irmão Evento me apontou uns quatro (acho que são da cota de Jô para representar a empresa em eventos): uma produtora, um repórter, uma apresentadora e um chefe. Só. Pra quê mais, né?

A festa tava rolando numa boa aí chamei a atenção do meu acompanhante para uma figura:

- Ei, Furão, olha esse cara. Ele tá abalando.

- Tu acha que vou reparar em macho? É o fresco, é?

- Pow, mas ele é bonitão.. As meninas tão ovulando por ele. Não o conheço, tu sabe quem é?

- Esse aí de camisa preta e barba? Sei lá, quem conhece essa turma é tu.

- Vou tirar foto. Vai que algum seguidor conhece e dá a dica.

- Eneeeeee...


Boy magya misterioso que fez a pélvis das viada cair

Dizem que é um GogoBoy colocado de propósito pela Prefeitura pra ver quem soltaria a franga, mas eu acho que esse cara só pode ser penetra.  Aliás, o que teve de penetra e funcionário da PCR que não era da imprensa, não tá no gibi. Sorte que não atrapalharam em nada.

Mico mesmo, só em dois momentos: 

1 - o repórter de um blogueiro, ex-chefe de redação em jornal do estado, foi expulso da festa foi solidário com um amigo que exagerou um pouco e o retirou do local. Mesmo assim, a cena abalou o humor do chefe do cerimonial da PCR, Fábio Rogério. Até policiais foram chamados para ajudar os dois mostrando a saída. #SemViolência.

2 - Um rapaz que não conheço passou mal, caiu e se enroscou nas luzes que decoravam o tecido colocado na entrada. Alguns colegas tentavam tirar ele da enrascada, mas acho que também estava meio "altos". Depois de desfazer o nó, foram embora brigando entre si. Temos imagens:

Não sabe brincar, não desce pro Play!

Outro repórter que se jogou foi Allan Pereira, da Rádio Liberdade/Folha. Abalando em um blazer elengatérrimo, tentou roubar a cena de Salvino. Cara, desista... ninguém supera Salvino!

Ainda conferimos de perto uma DR meio sem sentido, meio loka, sei lá... Apenas vejam a imagem seguinte.

Não sei o que falar, apenas sentir...

O DJ Pepe Jordão arrasou no setlist. Teve Gretchen, Bragaboyz, Olodum, um monte de música de frango, Madonna, Kelvis Duran... Eu e o Furão chegamos à conclusão de que ele colocou músicas que tinha alguma mensagem subliminar, tipo essas que deixavam as pessoas loucas. Por exemplo, essa galera da foto abaixo que não sei de onde surgiu, mas era uma das mais animadas:

Passo da galinha de capoeira: estilo

Só fomos embora quando o DJ parou a música. O povo se tocou e começou a pegar o beco. Furão pegou seu carango e me de uma carona até o Bongi, mas não sem antes uma parada estratégica em um cachorro-quente nervosão que encontramos na Abdias. Como gosta de salsicha, esse garoto! Comeu logo dois pães.

Em resumo, o prefeito ainda está em alta com a sociedade. Todos os colunistas foram prestigiar. Fiz foto com cada um: beijo em tio João, tia Beta, tia Mi, tio Fernando Malavilhoso... ops, faltou tia Jana. Acho que ela ficou chateada comigo depois da festa do Social 1. Fica não, também te amo!

UPDATE:

Vou usar esse espaço "pós primeira postagem" para comentar os looks da festa Vou procurar aqui nos arquivos do meu celular e olhar o Facebook da turma que postou fotos também. Fiquem alertas, pois novidades podem aparecer ao longo dos dias.

Primeiro, esta imagem:


Fia, a senhora vai pra onde com esse vestido inspirado no calçadão de Ipanema? 
Você é bonita, o look não favoreceu. Taque fogo nele e não faça mais isso, ok?

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Enquanto isso, na Record...

Um flagra do Cidade Alerta.


Sempre é tempo de coxinha. Mesmo no temporal.
shaushuahsuahsuahsuahsuahsuahsuahsuahsuahsuahsuahs

E o que dizer desse video da repórter policial dançando a BANDA CALYPSO??? 

Sem comentários.

O Hulk de João Pessoa

Eu quase não falo de João Pessoa por aqui. Na verdade, a imprensa pernambucana nem liga para a nossa Little Recife e pouco se sabe sobre os hábitos e costumes da população além-Goiana.

Mas chegou aqui o vídeo do Hulk de lá. Véi, é hilário. Vou nem comentar, confiram. 

Aos 59" eu pensei que ele ia cagar

Ele comeu whey estragado, só pode. E que treta é essa com o pessoal de Yegor, ex-Capim Cubano, só porque ele foi para um show e não te chamou? Acho que tem doses homossexuais nessa parada o popular tá rolando cu. Se ligue, doido!

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Blogueiras chegam a cobrar o preço de um carro zero para aparecer em evento

Quanto custa um selfie ao lado de um famoso ou uma foto postada no instagram de uma webcelebridade? Quanto as pessoas estão dispostas a pagar ou o que podem fazer para atrair para si os holofotes colocados em outrem? Pegar carona na fama daqueles que conseguiram sair da superfície é a tendência do momento em grandes festas e eventos.

Seja em casamentos e aniversários ou até em lançamentos de produtos e inaugurações, custa caro ter um famoso ao lado para dar mais visibilidade à ação. Um filão que o mercado das blogueiras, itgirls e aberrações do gênero começa a profissionalizar.

Luz de LED adaptada ao smartphone 
para melhorar as fotos: a coisa está ficando cada vez mais profissional


Os valores variam de acordo com o alcance, público alvo e status do "comerciante" que se propõe a emprestar um pouco da sua imagem para as outras pessoas, pobres mortais sem penetração na mídia ou amargando uma crise de credibilidade. Levei um susto ao ler a reportagem do Globo afirmando que a blogueira Camila Coutinho, do Garotas Estúpidas, cobra a bagatela de R$ 40 mil POR HORA para estar em qualquer evento e distribuir fotos, sorrisos e elogios que redundam em postagens positivas nas redes sociais para seus seguidores ávidos por produtos. 

40 mil reais. É o preço de um carro popular por hora.

Não a critico por isso. Eu, na posição dela, dificilmente faria algo diferente (cobraria um pouco menos...) e é justo que se cobre algo, afinal você gastou tempo e trabalho para construir um público, principal moeda neste ramo de negócio. Só acho estranho que pessoas paguem tanto por isso sabendo que nem sempre o resultado é tão eficaz. 

Eu explico.

Dificilmente uma postagem elogiosa faz o público decidir ou não por consumir o produto. Na internet, a publicidade feita por famosos ainda é um tabu e gera desconfianças. Fica a sensação evidente de uma amizade comprada entre as partes, blogueira e cliente. Um elogio intensificado por cifras. Quanto mais dígitos, melhor é o produto.

E o leitor, quando não é enganado, é no mínimo plateia de um espetáculo teatral que fecha as cortinas quando o cheque é compensado.

Fernanda Colombo causando no jogo do Mequinha

A assistente gostosa Fernanda Colombo fez sua estreia em um jogo do Recife, atuando na partida em que o meu América perdeu para os matutos de Serra Talhada por 2 a 0. Vou nem falar do jogo, já que meu time perdeu (porra, Mequinha! A gente tenta te ajudar mas tu não nos ajuda!) e a partida foi de um nível técnico nível Peladão Alto Astral.

Colombo fez a festa do público que compareceu aos Aflitos, cerca de 400 pessoas. Muita gente não queria admitir, mas a maioria estava ali para ver se a "musa" era da arbitragem era isso tudo mesmo que estão falando.

Apôis ela é. E muito mais! Fia, que saúde, hein?

A galera do Superesportes do Diário de Pernambuco (futuro HapVida de Pernambuco) fez uma matéria legal mostrando que o estádio ainda é um ambiente machista e inóspito para mulheres que se encaixam no padrão de beleza estabelecido. Essa análise eu deixo pra eles, aqui vocês tem as fotos do jojo. hehehehehe

(todas as imagens são da equipe do SuperesportesPE)

Alguém tem o instagram desse cara de azul? Acho que a foto ficou boa.

#Qualidade

Não sei o que falar, apenas sentir...

 Olho no lance!!!

Com todo o respeito, que belo par de pernas, hein?

E não foi só a torcida que ficou tirando foto da assistente "para ver depois, em casa, com mais calma". Teve até repórter esportivo que mandou brasa no Twitter:


Eu não pude ir porque estava com dor de dente, de cama. Tudo resolvido, estou me preparando para a próxima partida da Fernandinha (óia que enxerimento!) aqui no Recife. Vou jogar meu olhar sedutor pra ver se descolo pelo menos um sorriso.

Beijo, Fernanda. Pernambuco te abraça e não vai largar mais.

sábado, 13 de dezembro de 2014

Festa da Globo marcada por fantasias batidas e ritual de acasalamento

A Rede Globo Nordeste realizou na noite da sexta-feira a confraternização com os funcionários da emissora em local que deveria ser um segredo para o público externo, mas eu entreguei pra todo mundo. Eles queriam evitar que os penetras de outras empresas aparecessem. Sou mal!

A festa tomou conta da Porto Fino, em Casa Forte, e reuniu todos os colaboradores. Desde o porteiro que fica no pé do Morro do Peludo até os chegados de Jô Mazzarolo, todo mundo foi.

Então, eu também deveria estar lá. Não fui convidado, mas quem disse que isso é obstáculo? Cheguei na Porto Fino assim que começou a farra, por volta das 20h. Todo mundo estava entrando com pulseirinha e eu, claro, não tinha nada.

Não tinha pulseira, mas tinha algo melhor: minha astúcia, preparo e inteligência sou foda. O entra e sai dos garçons denunciava uma brecha na entrada: eles nem olhavam a cara do profissional, só o uniforme. Esperei o garçom com cara de mais novo sair para aplicar o golpe:

- Oi cara, tudo bom?

- Opa.

- Vê, tô precisando de uma ajuda tua. É meio urgente. Eu fui convidado para animar a festa, sou recreador. Só que a merda da minha fantasia ficou no táxi e ele já foi embora.

- Sim, e tu quer o quê?

- Te dou 100 conto pra tu me emprestar teu uniforme. Eu vou só fazer um número no palco antes da banda e pronto. Saio e te devolvo.

- E eu vou ficar esse tempo todo sumido, é?

- Diz pra o teu chefe que deu dor de barriga, tás passando mal e vai no banheiro de um conhecido aqui perto. Topa? O dinheiro tá na mão...

- Porra... tá bom. Me dá aí. Vou ficar usando tua roupa, visse?

- Certo. Volto em duas ou três horas.

Aí entrei. Perdi cem conto e peguei uma tuia de chato na virilha, mas entrei e tinha que valer a pena. Penetrei na festa da Globo. Muaháááá!!!

A confra fez referência aos anos 70/80, com direito a decoração especial e tudo. A ideia era de que o pessoal criasse e fugisse do óbvio, mas parece que o pessoal da Globo tem preguiça de caprichar na fantasia e a maioria apareceu de hippie. Acho que tinha mais hippie em Casa Forte do que em Woodstock! Aff, povo! Vamo fazer um esforcinho, né? Nessa vibe, perucas e pochetes também voltaram com tudo nas composições. Muito brega.

Mas alguns conseguiram se destacar. Um militar com faixa presidencial (HUE BR BR), uma cópia mal feita de revolucionário cubano, mais hippies... A fantasia mais legal, de longe, foi a de Sabrina Rocha. Ela estava de Kátia Cega.

GENTE, KÁTIA CEGA!!! KÁ-TI-A  CE-GA! Vou repetir, desta vez com imagens:

Kátia Cega original


Kátia Cega Fake Melhor que a original Com Direito a Tecladinho e Bengalinha!!!
suashuashuahsuahsuahsuahsuahsuahsuahsua

Gente, Sabrina LACROU! De longe foi a melhor fantasia. Todo mundo queria tirar uma foto com ela, provando que ninguém tem originalidade em quantidade suficiente que chegue aos pés da musa do futebol pernambucano:

Gente, olha a cara de safada da Sabrina, se fingindo de cega! 
shauhsuahsuahsuahsuahsahsuhauha


Sabrina é diva. E ponto final.

A festa começou com uma cantata dos funcionários que está virando parte do protocolo de tão batida e chata que se tornou. Ninguém viu.

O povo só chegou em maior volume depois da cantata e foi se animando com um DJ. E eu lá, dando de uma de garçom sem bandeja, só de olho...

Ainda teve concurso de fantasias, sorteio de brindes e aí entrou uma banda que toca músicas dos anos 70. Foi massa! Jô Mazzarolo era uma das mais alegres e Meyre Lanunce era uma das mais assediadas Wanessa Andrade estava de "dona de casa dos anos 70", uma fantasia bem caprichada. Daniel França e Juliana Carneiro abestalhados porque que era a primeira confraternização dos dois. 

Os estagiários novatos bem tímidos e contidos. Já os estagiários mais antigos estavam se jogando, aproveitando a última boca livre na empresa.

Todo mundo animado e dançando, mas sem rolar pegação.

Pegação não pode na festa da Globo e vou explicar o porquê.

É um ritual da Globo NE: na confra eles ficam se olhando para saber quem vai pegar quem durante o ano. E como eles só se reproduzem lá dentro (muito difícil algum global pegar gente de fora), é a hora em que o cardápio fica à mostra.

A turma do Globo Esporte tava só de olho nas estagiárias novinhas. Ô povo tarado, viu? 

Logo, a confra de fim de ano funciona como a primeira etapa de um ritual de acasalamento que dura o ano todo. Que barra.

Bruno Fontes não aprovou o novo corte de cabelo da esposa

Antes da banda principal shaushaushaushuashuahsuah entrar no palco (com Ronin Tardin nos vocais) eu fui embora. Já tinha dado a hora de devolver o uniforme ao garçom e se eu demorasse mais um pouco a turma desconfiaria de mim. Mas o meu trabalho já estava feito. Sucesso! Fui encontrar o garçom e devolver a roupa.

- Cara, toma teu uniforme.

- Que demora da porra! Se eu for demitido, tás fudido!

- Relaxa. Vai nada. Ninguém notou. Pra te agradecer, ainda vou te deixar famoso: me passa teu whatsapp que vou mostrar um blog bem legal que vai contar como foi a festa.

- Que blog?

- O meu.

- Oxe, tu num era recreador agorinha?

- Esquece isso. Me dá teu whatsapp e eu te mostro a matéria. No final dela, vai ter o teu nome.

- Mas que blog é esse?

- Tu não conhece não. É o Estagiário...

- ...Social 1? Claro que conheço. Eu sigo no Twitter.

- Ops...

- É tu? O Estagiário é tu? Caralho, vou entregar! HAHAHAHAHA

- Ei, deixe de frescura. Faça isso não, senão perde a graça.

- Cara, é tu? Sério mesmo? Vem cá, deixa eu fazer um selfie.

- Uma porra! Ó, vou embora. Entra no blog depois e vê teu nome no post da Globo.

- HAHAHAHAHA Tá bom, cara. Valeu. Ó, sou teu fã, visse?

- Tá bom. Segredo, viu?

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

VALEU DJAIR! TU É FERA É ME AJUDOU MUITO HOJE. Depois a gente marca uma rodada de dominó na pracinha da Avenida do Forte.