domingo, 18 de dezembro de 2016

Este blog ainda existe!

Minha gente, eu jurava que tinha perdido a senha do blog mais baphônico em linha reta da imprensa pernambucana, mas conectei meu notebook antigo e entrou automaticamente. Deu pra recuperar a senha e agora tô acessando por uma nova máquina.

Mas enfim, não tô aqui pra isso. Quem me acompanha no Twiiter (recomendo, eu vivo por lá e só passo por aqui duas ou três vezes POR ANO) viu que neste domingo (18/12) enfrentei um perrengue danado que o que tem de assustador tem de engraçado.

Se você veio do Twitter, ok, segue a leitura. Se você não sabe do que tô falando, vai se enturmar agora.

Enquanto você tá lendo, dá o play nesse vídeo pra fazer uma trilha sonora best.




























Pronto. Agora vamos às explicações que não couberam nos tweets.

Eu fui pra uma festa na casa do meu amigo Fábio que mora lá em Areias, lá na José Rufino. A gente passou no Bompreço da Avenida Recife antes pra comprar umas coisas básicas para a festa: cerveja, amendoim, cerveja, milho pra fazer pipoca, cerveja, vodca, cerveja, uns queijo, latinha de cerveja, salgadinho e dois pacotes de camisinha para caso a festa fugisse do controle (prevenção é tudo). E antes que pensem que era frangagem, tinha umas boyzinha convidada também. ;)

Na saída do Bompreço compramos um DVD de Zezo e um CD de MP3 com "AS MELORES MUSICAS ROMATICAS DE 2000" <<< tava escrito assim, eu juro! kkkkkkkkkkkkkkkkkk

Aí a gente foi pra casa de Fábio. Tudo massa, Zezo tocando, o MP3 só tinha uma pasta com um 10 músicas, mas a cerveja tava gelada e a partida de dominó tava gerando na alta. Tudo ia bem.

Mas aí...

Começou a loucura. Fábio me contou hoje à tarde o que aconteceu.

Uma da convidadas (vou chamá-la de Xexéia, pra não gerar desconfiança já que ela é conhecida da imprensa) tinha que pegar um voo na madrugada para Fortaleza. Bem que eu achei estranho a menina chegar toda arrumada para uma festa no sábado à noite e com uma mala... e ela tava toda agoniada, como se estivesse atrasada. Bom, lá pelas 2 da manhã, todo mundo já bicado, e Xexéia tava agoniada querendo ir para o aeroporto porque o voo dela saia por volta das 5h. 

O que é recomendável nessas horas? Claro, pegar um táxi Uber e ir com segurança. Mas nããããããooo... alguém teve a ideia genial de levar Xexéia no carro de Fábio e aproveitar pra comprar whisky no caminho.

No carro cabem cinco pessoas, ok? Fábio disse que entraram umas sete: o motorista (Fábio), Xexéia (que Fábio tava pegando), eu, Joaquim, Dedé, Martinha no colo de Dedé, Jéssica e Mago. Um aperto do carai.

Mago era um amigo de Dedé que nunca vi na vida e só sabia que morava depois do aeroporto porque ele falou isso quando Xexéia disse que iria viajar. Desde então, nunca vi Mago na minha vida. Guardem esse personagem.

Na ida, a gente atravessou uma blitz na Mascarenhas de Morais. Por muito pouco não fomos parados, acho que minha reza deu certo. Mas a gente já tava bolando um esquema pra voltar por outro canto.

Deixamos Xexéia no aeroporto às 4h, mas ainda tínhamos um problema: o carro estava com seis pessoas, as seis BÊBADAS e uma blits da porra no caminho de volta. Não tinha como prosseguir.

Aí eu tive a magnífica ideia e disse para o Mago:

- Ei, num é tu que mora aqui perto, né?

- Ali no Jordão, na Maria Irene.

- Oxe, vamo arriscar mais não. Vamo pra tua casa e esperar amanhecer.

- Dispense... tem ninguém em casa e vocês vão fazer uma bagunça do carai.

- Que nada, porra! A gente só vai dormir.

A galera topou. Quer dizer, a galera toda não, né?

Fábio tinha que voltar porque se o pai dele não visse o carro na garagem de manhã cedo, ia dar merda. Jéssica tava com medo de ser enrabada por nós (kkkkkkkkkkkkkkkkkk) e pediu pra voltar com Fábio. Martinha e Dedé, namorados, também arriscaram voltar. 

Do aeroporto, Fábio nos deixou (eu, Joaquim e Mago) no Jordão. Seguiram para Areias e a gente ficou na Maria Irene.

Daí em diante, só lembro que acordei em um quarto verde, com um sol da porra na minha cara, e sozinho. O café tava quente, mas não tinha ninguém em casa porque Mago e Joaquim tinham saído pra comprar pão, queijo e sonrisal.

O banheiro tava sujo porque Mago é porco mesmo.

O portão tava trancado porque ele não tem ferrolho (?) e o cachorro do Mago (um vira lata brabo que só a peste) vive fugindo. Por isso tive que pular o portão.

Pedi um Uber porque tinha deixado minha carteira no carro de Fábio, com meus documentos e dinheiro.

Cheguei em casa com a maior cara de donzela pra mainha não desconfiar de nada. Tomei banho, lavei o cabelo, engoli um neosaldina e cama. Tentei ligar pra Fábio, mas não consegui falar com ele. 

Acordei no meio da tarde com a cabeça no cu com o som deprimente de Faustão na TV e aí vi as mensagens de Fábio no meu celular. O CARA TAVA DESESPERADO porque quando Joaquim e o Mago voltaram, não me encontraram em casa e nem tinham ideia do que poderia ter acontecido.

Tavam me procurando por tudo o que era canto. Já iam dar parte na polícia informando meu desaparecimento e estavam nervosos porque em algum momento alguém tinha que dizer pra mainha do meu sumiço. Graças a Deus acordei antes disso.

Foi isso. Desculpa aí, galera, se eu aperreei vocês.

Agora que voltei a ativar o blog, quem sabe não apareça com algumas postagens novas e engrassadonas por aqui?

segunda-feira, 11 de abril de 2016

O aniversário do Blog do Magno: 10 anos de altas treta

Ó eu aqui de novo
xaxando
ó eu aqui de novo
pra fofocar


kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Pessoal, desculpa meu retardo e a demora para atualizar o blog. Como disse, o trabalho tá pesado e não me deixa com o tempo de antes quando era um blog moleque, um blog raiz, blog arte que enchia estádios, blog toco y me voy e por isso as aparições na blogosfera rarearam.

Não vou nem prometer manter o pique de antes. Não vou cumprir e vocês vão ficar putos comigo. Mas quero tentar soltar mais atualizações. 

Enfim, vamos ao que interessa: a festa dos 10 anos do Blog do Magno Martins. Se você o conhece, deve ser jornalista ou político. Se não o conhece... bom vida que segue, tem outros blog (como o meu!!!)

Magno foi o pioneiro nesse mundo de blogs pernambucanos extorsivos. Fundado em 2006 após seu titular deixar a Folha de Pernambuco deve ter pendências trabalhistas lá até hoje, se consolidou e hoje é referência no meio e blá, blá, blá... sei que vocês não querem ler isso. 

VAMOS AOS BABADOS!!!

A festa era apenas para convidados, no Arcádia Boa Viagem. Teve senha para entrar, enviada semanas antes. Claro que não recebi a minha, o que não é obstáculo para mim, né mores? Fiquei sabendo que a farra feat. boca livre seria hoje porque o chefe da firma tava puto, sem convite. Ele foi para casa arretado. Eu peguei o táxi, negociei o valor (disse que se não baixasse o preço eu iria pedir o Uber) e cheguei um pouco depois das 20h.

Lindão, né? Quanto será o aluguel do espaço? Pode ser pago em anúncio no blog?

Na entrada, dois seguranças. "Só dois? Coisa fácil!" pensei.

Não foi fácil, não. FOI MOLEZA! hahahahahah O papo de senhas era só pala de butico, bastava chegar arrumadinho, elegante e educado com um sorriso no rosto que qualquer um entrava. Ninguém pediu senha. Aaaaahh, não teve graça... Entrei na limpeza.

Como ele entrou aqui?

Logo na entrada, umas gatas estavam distribuindo aquela revista jabazzeira Movimentto com nosso astro da noite na capa. Ah, também entregavam um panfleto de um consultor de mídias sociais com os dizeres "Candidato, como está sua imagem na internet?" Oportuno, né? Visão de mercado, minha gente! Numa festa cheia de político, tu não faria o mesmo? Eu faria.

Bom, entrei. Uma mesa de doces magnífica estava posta. Comi uns cinco brebotos antes de todo mundo e, discretamente, arrumei as guloseimas nas bandejas para que ninguém desse falta. Sucesso! Tudo certinho como antes sou um gênio do crime.

A mesa de doces e salgados, bem filezinha

Ainda de boca cheia, vi um empurra empurra no meio do salão. Não, não era nenhum deputado federal dizendo ser a favor da presidente Dilma, era o governador Paulo e o prefeito Geraldo (Dois Filhos de Eduardo) que estavam tirando fotos e circulando. Eles só andam encangados agora, é? Porque soube que chegaram juntos e foram embora juntos. Nem dei meu tradicional beija mão...

Uma mesa de políticos simulava uma reunião espírita. 
Mas a água é daqueles que passarinho não bebe e tubarão não nada.

Sem falar que para onde vão carregam uma reca de babões assessores de tudo o que tipo: três fotógrafos, cinco seguranças, uns nove secretários, 17 assessores especiais para assuntos aleatórios, sem falar naquele pessoal SIM-PÁ-TI-CO #sqn das equipes de cerimonial. Ô povo de cara emburrada! Deveria ser o contrário, né? Um deles pisou no meu pé na confusão, olhou para mim e nem pediu desculpas. Mas enfim... O que é teu tá guardado, beesha!!! Haja aspone!

Vida que segue. Comecei a tomar a champa da noite, que tava deli. 

Festa bombando!

E teve selfie de políticos
E o que deveria ser o ponto alto da noite foi o ápice do constrangimento. De repente, o casal Chico José e Beatriz Castro surge no palco para ler um texto sobre Magno Martins que deve ter sido feito por aluno do segundo período de jornalismo da Aeso. Una buela buesta, como dizem em español. 

Ah, e o que são Chico e Beatriz como mestres de cerimônia? Minha gente, não dá... são bons repórteres, apenas. Não forcem a barra. Deu para perceber que eles não tinham lido o texto antes, estavam enrolados, não conseguiam improvisar. Vamos fazer assim: cada um no seu quadrado, ok? Pernambuco tem mestres de cerimônia melhores, ctz.

Beatriz, meio enrolada, chamou a exibição de um vídeo de 8 minutos sobre a vida e obra de Magno Martins. Na boa, se a vida e obra de Magno Martins resultou em um vídeo de só 8 minutos, a minha cabe em um anúncio de Youtube (e nem precisa pular depois de cinco segundos, acaba lá mesmo). Claro que poderiam explorar mais, Magno tem história para caráleo vasta no jornalismo. Mas ninguém iria ficar de pé assistindo isso, né? O vídeo ficou legal, apesar das forçadas sentimentais na relação dele com o pai.

Minha reação com o vídeo

Aí, eis que nosso Maligno sobe no palco com o filho no braço e começa a fazer um discurso no improviso que parecia não ter fim. Tava ficando tão chato, o incômodo era tão visível que coube ao filhinho dele, no braço do pai, dar o sinal de que ninguém estava mais aguentando: começou a puxar o cabelo de Magno, colocar a mão na boca do anfitrião, atrapalhar a fala ao microfone. O garoto tava puto! kkkkkkk

Magno se tocou e encerrou o discurso, deixando o palco para as atrações da noite: uma orquestra, Josildo Sá improvisando uns bolero doido e depois a banda Brucelose. BRUCELOSE, CARAI! Adoro Brucelose!!!!

A mulher cansou e não teve dúvida: sentou no palco pra dar uma relaxada

Era a hora de me dar bem. Teve umas novinha dançando na frente do palco. Tentei me chegar, mas sozinho é foda... E olhando de perto, nem valiam a pena. Fiquei só arrudiando, feito urubu em volta da carniça.

Mas não rolou nada. Nem um olharzinho para mim. Acho que o terno dois números acima do meu tamanho assustou as gatinhas meninas.

As gatinha dançando e dando sopa #sqn

Em resumo, foi isso. Durante toda a noite Magno ficou em um cantinho tirando fotos, recebendo abraços e - segundo a fofoca por lá - garantindo com os políticos o patrocínio do blog para os próximos dez anos.

Calma, não era o preço do anúncio no blog. 

Magno recebendo amigos e patrocinadores

Parabéns, Magno! Você é a inspiração dos blogueiros pernambucanos e reconheço isso. Boa sorte!


Bônus Track: Prêmio de Melhor Topete feat. Barba Bem Feitinha da noite vai para...


Esses boys. Amey!!! <3
husahushashaushaushauhsuahsuah

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Tô de volta!

Pessoal, aos poucos vou tentar manter o blog atualizado. Dei uma parada porque o trabalho ficou pesado na agência, acabou tomando todo o meu tempo. Mas quem me acompanha pelo Twitter ficou atualizado. 

Só voltei aqui para dizer isso eEITA PORRA GOL DO AMÉRICA!!!!!


O América, meu time, o alvi-verde da Estrada do Arraial, venceu o Sport no Clássico dos Campeões. 

Histórico.

Inesquecível.

De cair o cu da bunda.

Há 43 anos que a gente não ganhava do Sport, que estava há uns 30 jogos sem perder na Ilha do Retiro. Pois, é, estava. Até hoje.


Tudo bem que o Sport teve OITO chances de marcar o gol, mas não fez. O América teve UMA NA CAGADA e fez. Por cobertura. E de joelho.

Depois todo mundo encostou o cu na parece e segurou o resultado.

Por falar em resultado, destaque e toda a glória e toda a glória para o goleiro DELONE. Que homem gostoso que jogador maravilhoso.

E o que falar de Glauber, o zagueiro do cunhão gigante? Yuri, zagueiro raçudo que deve ter uma pitoca da grossura de um cano de esgoto. 

A ZAGA DO AMÉRICA É MAIS IMPENETRÁVEL QUE BUCETA DE FREIRA!

O dia de hoje vai ficar marcado. Valeu até para ressuscitar o blog.


sábado, 10 de outubro de 2015

Diário de Pernambuco nas mãos dos Rands

Lembram de Maurício Rands? Não? Então vai descendo a página aí que a gente vai refrescar a tua memória. Para o pessoal da imprensa, Rands era aquele tipo de entrevistado que não olhava para o repórter e sim para câmera, sempre com o sorriso forçado que nem um pau no cu de um gato. Na política ele foi um petista de raiz, um petista moleque, um petista arte, um petista toco y me voy…. 

Maaaaass, depois daquela treta entre os Joões, ele até tentou entra na briga, mas foi cooptado para o lado amarelo da força, puxado por Eduardo Darth Campos Vader. Porque estamos lembrando desse cabra que ninguém nem lembrava mais que existia?

Pois bem, ele agora reapareceu na mídia de uma forma muito peculiar. Ele comprou parte da mídia pernambucana. 

"Qualé, estagiário? Tá me entregando?"

Sendo mais claro e deixando de enrolação: Mauricinho junto com seu irmão Alexandre compraram o Diário de Pernambuco. O jornal mais antigo em circulação na América Latina está parecendo um fusca 76 ou uma Honda CG 125cc, a cada dois anos e passado para frente. 

Lembrem que a pouco tempo a Hapvida comprou o grupo de comunicação. Xandinho Rands é empresário, dono da Data Métrica, empresa de call center que dentre outras contas tinha o serviço 135 do INSS no seu case. Ele também era o cara dono daquele telejrnal da TVU “Nosso Jornal”. Caso você não tenha sido estudante de jornalismo da UFPE na década passada você não vai lembrar. (Ninguém assistia esse programa). 

O que vai ser do DP agora Estagiário? 

Bem, é nessa hora de troca de comando que os funcionários ficam com o cool na mão. A tensão dentre os colegas da Rua da Veiga é que haja mais um passaralho, como o recente que demitiu mais de 100. 

E se o Diário nos últimos tempos nunca foi um primor de independência editorial, agora as coisas passam a ser piores. O jornal que já tinha o costume de publicar “matérias especiais” (pagas) falando bem do governo do estado, agora foi que fodeu. The Rands Brothers sendo PSB não deixarão passar nenhum tipo de crítica pra cima de Geraldinho e Paulinho. É pagar pra ver. Fiquem atentos a cobertura de política do DP daqui para frente. Ainda mais no próximo ano, quando teremos eleições municipais.

quinta-feira, 25 de junho de 2015