segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Os babados da Parada da Diversidade

Bee mostra os seios mais caídos da orla para o público. Reparem na cara da menina de vermelho, espantada com tanta formosura.

No domingo arranjei um tempinho para ir até Boa Viagem dar uma rolé na Parada da Diversidade. Foi muuuuuuuuito escroto! Pense numa gente animada, de bem com a vida, sem amarras, doida para dar, doida para dançar, feliz e sorridente.

Mas, como toda grande aglomeração tem confusão, alguns babados não passaram em branco pela minha vista aguçada. Alguns arrastões provocados pela turma da bagunça atrapalharam o clima família do evento. Vi muita gente indo embora cedinho, antes mesmo de começar, com medo das confusões. Essa turma da zona sul não é fácio...

Tinha policiamento, mas achei insuficiente para tomar conta de 300 mil pessoas. Tudo bem que a galera vacila, mas até eu que tomo todos os cuidados do mundo quase que me lasco: três boyzinhos de no máximo 16 anos me cercaram e tentaram levar meu relógio e celular. Minha sorte foi que antes deles chegarem em mim, duas drags do tamanho de uma kombi apareceram e colocaram os três maloqueiros para correr. Ainda assim um deles, ao passar por trás de mim, me deu uma dedada.

Filho da puta. (>_<)

Agradeci as drags com o maior medo do mundo, sem saber se elas pediriam algo em troca. Mas elas foram super legais e só disseram que eu deveria ter mais cuidado e andar sempre acompanhado. Anotei o conselho e fui para a pracinha de Boa Viagem, esperando o comboio sair do Parque Dona Lindu

Tava lá de boa, sozinho, só baratinando e rindo. Acho muito legal esse lance de celebrar a diversidade, sabe? O Brasil, se é mesmo um país de todos, tem que ser um país de todos MESMO, sem preconceitos. A galera que vai para a parada com esse espírito de luta, sem vergonha de mostrar quem é, merece todo o meu respeito.

Eu fiquei na frente da pracinha, só olhando a galera e os boy magia me secando. Acho que eles sentem o cheiro de macho no ar e ficavam me encarando, decorando de cima a baixo. Um grupo de três bee's novinhas estava no meu lado e deu para ouvir claramente quando disseram "esse não é do clube, mas se apertar um pouquinho pode sobrar uma beirinha pra gente".

Saí correndo de lá assim como Eduardo corre de Jarb... oh wait! o.O

Como já disse, nada contra essa galera super do bem, mas sabe como é, né? O koo é meu e faço o que quero com ele. No caso, só o número 2. ;)

Deixei a pracinha e fui seguindo a avenida na frente do trio, para evitar as brigas e arrastões. Ouvi boatos de que muitas confusõezinhas estavam ocorrendo lá por trás, culpa do álcool e loló no quengo da galera. 

Gente, foi muito loló e maconha comendo no centro. Tem que ver issaê... 

Só sei que a PM teve trabalho. Um policial em particular. O coitado tava sozinho atrás de uma palmeira da praia e vi quando uma drag toda trabalhada no azul-lantejoula-celeste começou a pegar na "pistola" do guardinha, que só fazia rir. Olha que safado...

Eu tava na areia e morrendo de rir das lésbicas, gays, bissexuais e transexuais (posso falar frango e sapato não, né?) que ficavam dançando em cima dos banquinhos do calçadão. Um show de sensualidade, todas se querendo. kkkkkkkkkkkk

Eu tava achando engraçado até um deles, que estava sem camisa e de gel no cabelo, me ver. A bicha olhou para mim, baixou os óculos escuros comprados em Casa Amarela por R$ 10, passou um dedo na boca veio descendo pelo peito, descendo, descendo... e quando eu pensei que ia apontar pra mim, O SAFADO DEU AS COSTAS, ARRIOU A CALÇA E ENFIOU NO CENSURADO!!! 


Fiquei estarrecido. É assim que é a cantada, gente? Poha, vocês pegam pesado! Eu  saí chorando dali gritando por mainha, pedindo a God que apagasse aquilo da minha memória.

E não é que o frango veio atrás? Que bicho(a) ousado! Conseguiu me alcançar (eles correm mais que o Usain Bolt quando tão viçando) e me puxou pelo braço. Pensei: "Adeus, virgindade anal!", mas o boy disse que só fez aquilo para provocar e ver minha reação. Na maior humildade pediu desculpas.

DESCULPA UM CARÁLIO! Mandei ele tomar no mesmo lugar que enfio o dedo. Ah, vá se f...! Isso é jeito de provocar? Tabacudo...

O post tá longo, né? Mas já tá acabando. Aguenta aí.

Enfim, tava superando o susto quando vi mais um arrastão na hora em que passava o trio da Metrópole. A polícia conseguiu prender um maloca que estava escondido dentro de um banheiro químico e que havia acabado de roubar um celular e uma carteira. Tava com uma camisa da torcida do Santa Cruz, mas acho que foi só coincidência.

Desisti de aproveitar a parada e fui para o Carrefour fazer um lanche. No meio do caminho ainda levei uma carreira de uns trombadinhas, mas consegui despistar. O pior foi ver a bagunça dentro do supermercado quando o pessoal ouviu algo semelhante ao som de tiros. Não sei se teve bala, mas vi muita gente correndo.

Era a deixa para ir embora. Peguei o primeiro táxi que apareceu e segui para o Shopping Day. O post não tem foto justamento porque não levei o celular, mas acho que essa imagem pode passar um pouco da emoção do evento:

Tinha espaço para mais gente, mas o público foi embora quando a festa começou a ficar igual ao Recifolia, Bloco da Parceria, PE Folia... você me entende, né?

Um comentário:

  1. NÃO PARO DE RIR 1 MINUTO!!!
    VOU PARAR DE LER ESSA POHA.........

    ResponderExcluir